Wild horses

O cavalo gentilmente aceita o cavaleiro em seu dorso,

Leva-o pacientemente por infinitos prados. (Nunca o contrário).

Mas quando o ímpeto acende em seu ventre, e a fúria atiça suas canelas

Ele corre: mais forte que o vento e para dentro dele.

Sem memória, sem grilhões, sem passado: para frente.

Jamais por desamor ao seu dono. Sim por insolência:

Sua divina, concreta e inegável natureza.

Confiável como o ar que entra e que sai do peito,

Sem argumentos, nem mentiras.

A adorável leveza do ser

que se sustenta apenas pelo movimento.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s