Inquisição

De todos os aparelhos de tortura, o seu preferido era o que lhe apertava as têmporas:

Fazia ela se sentir segura, acolhida, como se seus pensamentos parassem de chacoalhar sua cabeça por dentro. Além do quê, a pressão constante e gradualmente crescente era a estabilidade que nunca tinha tido na vida. Fechava os olhos e respirava com alívio: silenciavam, finalmente, seus demônios.

Tinha também aquela hora em que o torturador golpeava suas costas, tirando-lhe o peso do mundo. Este tratamento já fora seu preferido, mas a esta altura do campeonato, já era demasiado leve para ela.

Era mais um vício que um remedio; já começara a desenvolver tolerância a todo este processo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s